leitmotiv
Agência Aorta
<< carow.com.br

22 junho 2009

Trilhas do SPFW

O blog do site oficial da São Paulo Fashion Week faz o favor de publicar todas as trilhas sonoras que estão sendo usadas nos desfiles, não é demais?

_nin0440

RESUMÃO + LINKS

1º DIA – Trilhas: Madonna e Escolas de Samba

Osklen, Priscilla Darolt,V.Rom, Paola Robba, Uma po Raquel Davidowicz e Colcci.

2º DIA – Trilhas: Camadas eletrônicas, inspiração em feiras livres, folk downtempo, bandas inglesas e anos 80.

Iódice, Maria Bonita, Alexandre Herchcovitch (feminino), Cori, Forum Tufi Duek, Huis Clos e Cia. Marítima.

3º DIA – Trilhas: Sons tipicamente brasileiros com roupagem moderna, rock´n´roll, folk rock, Blur e Elvis Presley.

Renato Lourenço, Simone Nunes, Água de Côco, Carlota Joakina, Fábia Bercsek, Ellus e Triton.

4º DIA – Trilhas: Yeah, Yeah, Yeahs, orquestras retumbantes, realismo fantástico, Queen, mix conceitual de guitarras, Taking Heads e natureza.

Gloria Coelho, Erika Ikezili, Maria Garcia, FH por Fause Haten, OEstudio, 2NDFloor e Animale.

5º DIA – Trilhas: Rock pesado e político, hipnose com frases sussurradas, clássicos da cidade de São Paulo e trilha do filme 007 ao vivo.

Cavarela, Neon, Ronaldo Fraga, Jefferson Kulig, Mario Queiroz e Lino Villaventura.

6º DIA – Trilhas:  nuvens pesadas para um verão chuvoso, Caetano Veloso, cover de Diana Ross, Beto Barbosa, Ne Me Quittes Pas caliente e Radiohead.

Isabela Capeto, Wilson Ranieri, Movimento, Alexandre Herchcovitch (masculino), Reserva, Samuel Cirnansk e André Lima.

Filed under: Moda,Música — Tags:, , , , , , — Carow @ 16:12
 

19 junho 2009

Estúdio digital para experimentação de esmaltes

unha

A marca de cosméticos francesa OPI disponibiliza em seu website um estúdio para testar inúúúmeras cores de esmalte. Você pode ainda balancear a cor da sua pele e o comprimento da unha para verificar se a cor cai bem em suas mãos, para então adquirir o produto. Veja só e acabe com as dúvidas na hora de encarar a manicure.

Filed under: Beleza — Tags:, , , , , — Carow @ 14:54
 

18 junho 2009

Jornalismo fantasma

A última do STF (Supremo Tribunal Federal) ontem à noite, dia 17,  foi como uma porrada na cara dos jornalistas, categoria de profissionais a qual atuo desde 2003, quando comecei meu curso de Jornalismo na PUCPR.

A Justiça brasileira optou por votar (oito votos a um) contra a obrigatoriedade do diploma em curso superior específico para o exercício da profissão de jornalista no Brasil. Para o STF a formação específica em curso deve ser dispensada para a garantia do exercício pleno das liberdades de expressão e informação. Trocando em miúdos: para ser jornalista agora basta saber escrever e sair publicando onde der. (O que também já diminui em muito as possibilidades de intervenção no jornalismo pelos cidadãos brasileiros – talvez daqui uns cinco anos os analfabetos também sejam protegidos pelo STF, a fim de se tornarem jornalistas aptos).

Porque chegaram até isso, e quais são seus argumentos? Ain… Dói… Mas vamos lá… 1) A salvaguarda da sociedade é não restringir nada… 2) Atividade jornalística é o mesmo que “intimidade com as palavras”… 3) Em outros países o jornalismo funciona bem sem exigência do diploma (onde? na China?, ah não, é que “nóis” é chique e desenvolvido como os europeus)… 4) Isso evita os obstáculos à livre expressão garantida pela Constituição Federal… 5) E a balela continua por aí…

O presidente do STF, Gilmar Mendes, completou ainda dizendo que “quando uma noticia não é verídica ela não será evitada pela exigência de que os jornalistas frequentem um curso de formação. É diferente de um motorista que coloca em risco a coletividade. A profissão de jornalista não oferece perigo de dano à coletividade tais como medicina, engenharia, advocacia nesse sentido por não implicar tais riscos não poderia exigir um diploma para exercer a profissão. Não há razão para se acreditar que a exigência do diploma seja a forma mais adequada para evitar o exercício abusivo da profissão”.

Já tive algumas experiências no ramo, e é fato que muitos jornalistas atuam em redações sem terem cursado a graduação em Jornalismo, sendo assim este julgamento feito pelo STF só viria a espelhar a realidade. Por outro lado, sabe-se que muitos autores e pensadores deste século consideram a imprensa/mídia como um dos poderes centrais da humanidade.

Me atrái a hipótese de que no Brasil os três poderes (judiciário, legislativo e executivo) foram substituídos por: 1°) Poder Econômico; 2º) Poder Midiático; 3º) Poder Político, e ainda: o Poder Político não teria autonomia e sim seguiria decisões feitas primeiramente pelo Poder Econômico e aprovadas pelo Poder Midiático, para então poder atuar.

Com isso, para mim, fica difícil encarar esta declaração de Gilmar Mendes: “a profissão de jornalista não oferece perigo de dano à coletividade”… Talvez se alguém da Justiça tivesse cursado Jornalismo, saberia das Teorias da Comunicação… Hipótese do Agendamento… Enfim, acho BEM perigoso colocar a atividade jornalística na mão de qualquer cidadão, até porque todos sabemos que somos regidos pelo Poder Econômico, e não pela liberdade de idéias e expressão.

Mendes ainda chegou, em seu discurso, a comparar jornalistas com cozinheiros. “Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área”, disse. VALHA ME DEUS!

Uma liminar do STF já garantia, desde novembro de 2006, o exercício da atividade jornalística aos que já atuavam na profissão independentemente de registro no Ministério do Trabalho ou de diploma de curso superior na área de jornalismo. Uma coisa é permitir que cidadãos sem formação exercem a atividade jornalística, outra coisa é tornar INCONSTITUCIONAL a obrigatoriedade do diploma de jornalista.

Garibando algums opiniões no Twitter (www.twitter.com/carow85), encontrei uma, postada por Adriano Pinheiro (@dricopinheiro), que para mim resumiu bem: “a capacidade pra atuar em determinada área com sucesso envolve mais que um diploma, mas anular a importância desvaloriza a categoria”.

Eu poderia ficar escrevendo, escrevendo e escrevendo, mas resolvo parar por aqui. Um ótimo dia para os não-jornalistas!

ba16641


 

17 junho 2009

Cota na moda

Fonte: Folha Online

Os desfiles da temporada verão 2009/2010 da SPFW (São Paulo Fashion Week) que começam hoje, quarta-feira, dia 17, serão o palco de mais uma batalha contra a discrimação racial. Durante o evento, 10% dos modelos deverão ser negros, afrodescendentes ou indígenas, isto conforme o Termo de Ajustamento de Conduta acordado entre o Ministério Público e os organizadores da SPFW.

Isto se deu com base em um inquérito apresentado pelo jornal Folha de São Paulo, a qual constatou em janeiro de 2008, que dos 344 modelos que desfilaram naquela temporada, apenas oito (2,3% do total) eram negros.

Caso a quantidade de 10% por desfile não seja atingida, a organização da SPFW pode ser multada em R$ 250 mil. Até 30 dias após o fim da temporada, o evento terá de elaborar uma relação completa dos modelos que desfilaram, apontando o nome dos “que se inserem no critério”, como diz o TAC.

É possível justificar o descumprimento: o Ministério Público aceita, por exemplo, que a alguns temas de desfiles não cabe a participação de negros.

A diretora de casting Roberta Marzolla, responsável pela seleção de modelos de Alexandre Herchcovitch, André Lima, Ronaldo Fraga e Wilson Ranieri, acredita que a medida será respeitada. “Acho que as marcas vão cumprir a cota”, afirma.

O mais interessante foi ter colocado as indígenas dentro desta cota, será que vinga? Vamos ver. Naomi que se cuide!

modelosnegrosdef

COMPLEMENTO >> Podcast >> Modelo negra vai ganhar menos da metade do cachê médio da SPFW, diz agente

Filed under: Beleza,Cultura,Moda — Tags:, , , , , — Carow @ 10:17
 

2 junho 2009

Relespública no Gárgulas PUB

Vou aproveitar o espaço do blog para divulgar o show que estou ajudando a promover.

O Gárgulas PUB (www.gargulas.com) traz a São José dos Pinhais o trio roqueiro curitibano Relespublica, um dos grupos locais com maior visibilidade no cenário nacional. A apresentação faz parte da turnê do novo álbum da Relespublica (www.relespublica.com), intitulado Efeito Moral. Ainda, para acender a noite, a banda Pallets (www.myspace.com/bandapallets), original da cidade, manda um som cheio de energia e vibração. Venha curtir sua noite no Gárgulas PUB, um local inesquecível, com o clima de um verdadeiro castelo medieval guardado pela magia do rock´n´roll.

Compre seu ingresso por aqui.

Então aí vai o banner:

banner_web

Filed under: Música — Tags:, , , , — Carow @ 17:35
 
Older Posts »